Ilê Orixá Ogum Adioko e Oya Tofã

Nação Oyo e Jeje

 

"Ùnjé Pè Ìlú Ìlá Àjé Ùnló" "Quem Come Quiabo Não Pega Feitiço"

 
19/12/2015 ::: TOQUE DE TERMINAÇÃO

ABERTURA PARA BARÁ EXÚ

A abertura ao orixá Bará na noite do dia 19 de dezembro teve um toque especial, pois nesta ocasião Pai Alexandre de Oya Tofã acompanhado de filhos do axé, de sua madrinha Mãe Fernanda de Xangô. de Pai Ronie de Ogum e amigos saudou o seu orixá Bará Lodê Alupagema  [MAIS]

CHAMADO AOS ORIXÁS

Pai Alexandre de Oya Tofã, acompahado de Pai Ronie de Ogum Adioko e Mãe Fernanda de Xangô Aganju Fumilayo realizou o chamado aos orixás no batuque de terminação que ocorreu no dia 19 de dezembro. [MAIS]

 

AXÉ DA BALANÇA

O axé da balança é realizado sempre que se realiza obrigação de quatro pé aos orixás, segundo alguns antigos para o orixá Xangô analisar como ocorreu a obrigação, desta forma se orixás se manifestam. A balança representa o equilíbrio, pois analisa sempre os dois pesos, os dois lados, de forma. [MAIS]

 

VARIEDADE E FARTURA

Dentro da religião africana é anânime sempre servir o melhor para nosso orixá, isso é uma questão que não se discute, pois todos fazem isso, todos sempre buscam o melhor para o seu orixá. E ao orixá não importa o quanto e o que se serve, mas sim o carinho, cuidado e dedicação no preparo de seus [MAIS]

 

DECORAÇÃO DO QUARTO DE SANTO

Sempre é importante registrar a memória de um evento, pois isto faz com que se registre a história, nos faz lembrar. Dizem que a história é cíclica, e para os yorubás ela é, mas mesmo assim ela pode apresentar particularidades únicas em cada evento, desta forma aqui fica registrado a história de como [MAIS]

 

A DANÇA DURANTE A RODA

Dançar para o orixá é uma oportunidade de se comunicar com o sagrado, de se repensar nossos valores e também de interagir com o sagrado, ser do axé é poder fazer tudo isso, e estar em uma roda batuque implica em ter contato direto com a divindade. [MAIS]

 

FAMÍLIA ILÊ ORIXÁ

A família Ilê Orixá é formada por todos aqueles que acreditam a religião como forma de ajudar e fazer o bem aos que buscam ajuda das divindades africanas, e para isso a cultuam com responsabilidade, fé e amor. [MAIS]

 

ALGUNS AMIGOS DO AXÉ

Em mais uma obrigação ocorrida no Ilê Orixá, os filhos do axé receberam a presença de dezenas de amigos, que ficam aqui registrados. Na religião africana, as festividades de religião africana costuma-se reunir os amigos para partilharem de momentos de axé, de força e de união. Os amigos em uma festa religiosa africana costumam visitar aos outros como forma de prestigiar e também de levar axé [MAIS]

ABERTURA DO BARÁ PARA RECEBER ANO DE IEMANJÁ

 

Logo nos primeiros segundos do ano de 2016, recebeu-se no cruzeiro ao lado do Ilê Orixá o ano de Iemanjá. Já é tradição na casa primeiramente se ir ao cruzeiro saudar o orixá Bará, e logo após se saudar o orixá que está iniciando o ano no quarto de santo, desta maneira se mantém viva a tradição de que Bará deve sempre ser saudado primeiramente.

A rua é o local nativo do orixá Bará Exú, e é onde ele melhor recebe suas oferendas e onde é a sua morada. Cultua-se no Ilê, diversas qualidades, Bará Lodê, Bará Lanã, Bará Agelu e Bará Adague, o tipo do Bará Exú que será assentado para cada um vai depender do orixá de cabeça de cada [MAIS]

OBRIGAÇÃO DO PEIXE

No Rio Grande do Sul sempre após os orixás receberem quatro pé, diretamente sobre eles, é realizada a obrigação do peixe, que consiste em sacralizar peixes para todos os orixás que foi realizado o corte. No ano de 2015, duas foram as ocasiões em que esta obrigação se fez necessário duarnte o corte para os orixás [MAIS]

ENTREGA DO TABULEIRO

Mais um tabuleiro de agradecimento do ano foi entregue pelo axé Ilê Orixá, agradecer e muito pelo ano de Ogum e Oya que quando se pensa que 2014 foi um ano ótimo, 2015, foi um ano sem dúvidas melhor [MAIS]

FESTA DE NATAL

Mesmo em um ano em que houveram muitas atividades religiosas o natal do Ilê Orixá ocorreu, como de costume, foi realziado na sede do Ilê com a presença de crianças da Vila Rica e arredores, já que esta atividade é fixa no calendário religioso da casa, sendo realizada desde o ano de 2011, levando desta forma abraços [MAIS]

TROCA DA ÁGUA DAS QUARTINHAS

Mais uma vez o Ilê Orixá fez o ritual de renovação das águas no último dia 31 de dezembro, desta vez para receber o orixá Iemanjá, orixá regente do ano de 2016. A renovação das águas é uma forma de renovar o axé, de se desfazer de uma energia desgastada durante o ano paara iniciar um novo ciclo com um novo axé. [MAIS]

17/12/2015 :: MESA DE IBEJI - SEGUNDA FESTA

DECORAÇÃO DO PEJI

A mesa de Ibeji ocorreu no dia 17 de dezembro, tendo sido realizada a decoração do peji no dia anterior, como sempre é feito no Ilê, a fim de facilitar a organização no dia da festa. Decorar o peji para uma mesa de Ibeji é algo especial, pois ao se fazer isso lembramos das crianças que irão receber [MAIS]

O RITUAL DA MESA DE IBEJI

Ainda no início da tarde do dia 17 de dezembro, Pai Alexandre extendeu a toalha branca sobre o salão para iniciar a montagem da mesa de Ibeji, que iria ocorrer no início da noite. Esta mesa foi realizada devido ao assentamento dos orixás Bará Lodê, Ogum Avagã, Xangô de Ibeji e Oxum Ibeji de Pai Alexandre. [MAIS]

FÉ NO CHAMADO AOS ORIXÁS

Com em qualquer outra obrigação, antes de se inciar se faz o chamado aos orixás, não que estes não estejam sempre ali, sempre cuidando, observando e prontos para ajudar. Chamar os orixás é como pedir sua permissão para iniciar, é avisar ao legítimo dono do espaço físico que se vai começar, isso se chama respeito. E o respeito é um dos elos de maior importância dentro da religião tradicional yorubá, pois um dos nossos pilares é saber que todos sao iguais, que todos merecem e devem ser respeitados. [MAIS]

12/12/2015 :: TOQUE EM HOMENAGEM AOS ORIXÁS OYA E IEMANJÁ - PRIMEIRA FESTA

DECORAÇÃO DO PEJI

No último dia 12 de dezembro de 2015, o quarto de santo do Ilê Orixá Ogum Adioko e Oya Tofã cubriu-se de vermelho naa homenagem ao Orixá Oya e Iemanjá. Esta foi a primeira festa, fechado aos filhos do axé. Na tradição Oyo e Jeje, seguida em nosso terreiro, sepre que se faz assentamento de orixá deve ser realizada a festa com a obrigação [MAIS]

ABERTURA PARA O ORIXÁ BARÁ

Antes de iniciar a obrigação foi realizada a abertura ao orixá Bará, como forma de agradecer por tudo, pedir traballho a quem precisa, de pedir saúde, de pedir paz a todos que necessitam, de agradecer a todas as graças, recebidas e que ainda estão por serem. Bará [MAIS]

 

FOGOS DE ARTIFÍCIO

Ainda no dia 12 de dezembro, logo após a abertura ao Orixá Exu Bará, foi realizada a queima de fogos de artifício, que anunciavam o início da obrigação. Foi um momento de intensa emoção e fé, em que os filhos do axé organizaram a atividade, criando um ambiente de magia e força entre todos. [MAIS]

 

BALANÇA PARA CONFIRMAR A OBRIGAÇÃO

Durante a obrigação do dia 12 de dezembro foi realizada balança para confirmar o assentamento dos Orixás Bará Lodê, Ogum Avagã, Xangô Aganju Ibeji e Oxum Pandá Ibeji, de Pai Alexandre, além da obrigação de filhos. Dentro da tradição do batuque do Rio Grande do Sul [MAIS]

DETALHES DA CULINÁRIA PARA A OBRIGAÇÃO

Nos cultos africanos a culinária é de extrema importância, pois todo o axé antes de ser servido passa passa pela cozinha, que é preparado para ser servido, com amor, cuidado e carinho, essenciais para que seja perfeitamente aceite pelo orixá. Durante as festividades isso não é diferente, sempre se prepara [MAIS]

MOMENTOS DE DESCONTRAÇÃO

Não que uma obrigação religiosa seja de stress ou cansativa, mas sempre antes de iniciar uma obrigação paramos um pouco para relaxar, descontrair e discutir alguma pendência que ainda tiver, para que ocorra tudo conforme o planejado, é o momento de cada um, de ver tudo que foi feito e perceber que tudo valeu [MAIS]

DANÇANDO PARA OS ORIXÁS

O dia 12 de dezembro foi para dançar aos orixás, em uma emocionante noite de axé e grande demonstração de força e magia. Esta festa foi o batuque da obrigação, onde foi assenatado os orixás Bará Lodê, Ogum Avagã, Xangô Aganju Ibeji e Oxum Panda Ibeji de Pai Alexandre, únicos orixás que ainda falatavam para completar a sua obrigação. Dançar para os orixás é uma oportunidade ímpar de nossa religião pois temos contato direto com o sagrado, com nosso objetivo de culto, e isso não existe na maioria das religiões, onde o sagrado é distante das pessoas, estar presente na roda é poder tambem desenvolver a fé, pois esta cresce a cada dia conforme nossas atitudes e nossa conduta ritual. [MAIS]

LIMPEZA DE FIM DE ANO PARA RECEBER IEMANJÁ

Dezenas de amigos e filhos do axé realizaram a limpeza de fim de ano no dia 20 de dezembro de 2015, para receber o ano de Iemanjá. Fazer uma limpeza de fim de ano é fundamental para o recomeço, pois é desta forma que nos llibertamos de nossas energias desgastadas pelo ano que se encerra, para ter condições [LER MAIS]

BARÁ LODÊ E OGUM AVAGÃ E IBEJIS

Pai Alessandro de Ogum, de nação Oyo e Jeje, de Cachoeirinha, realizou o assentamento dos orixás Bará Lodê e Ogum Avagã de Pai Alexandre de Oya, de acordo com estes preceitos religiosos.  [MAIS]

A yalorixá Fernanda de Xangô possui a mesma origem religiosa de Pai Alexandre, ambos tendo sido iniciados no axé de Xangô Godô Aloxe, no Ilê de Xangô [MAIS]

ENTREGA DOS NOMES DOS ORIXÁS DOS FILHOS

Em cerimônia realizada na sede do Ilê Orixá, no dia 27 de novembro, foi entregue o nome dos orixás assentados no dia 08 de outubro por Pai Ronie de Ogum Adioko. Desta forma cada filho que assentou orixás tem a possibilidade de maior estreitamento com seu orumalé, podendo se comunicar diretamente com eles, pelo nome e a sua qualidade. [LER MAIS]

REUNIÃO DOS FILHOS DO AXÉ

Os filhos do axé reuniram-se no dia 27/11 para as últimas definições sobre a obrigação de Pai Alexandre e filhos, como já é comum fazer m no Ilê Orixá. As reuniões servem para minimizar problemas e facilitar a coompreensão dos rituais a serem realizados. Ao se reunir todos juntos decidem [LER MAIS]

OFICINA SOBRE AJUNTÓ

Ocorreu na sede do Ilê Orixá oficina sobre ajuntos no dia 27 de novembro de 2015, primeiramente Pai Alexandre de Oya Tofã e Pai Ronie de Ogum Adioko explicaram o que é o ajunto, de que forma se determina e como este definido para ori de cada um. A oficina seguiu sendo conduzida por Pai Alexandre que destacou os ajuntos possíveis dentro de nossa nação Oyo e Jeje. Logo após houverm algumas indagações e discussões sobre o assunto, que contribuíram para que as dúvidas fossem prontamente sanadas, levando todos os presentes a um momento de reflexão e estudo. Mãe Adriana de Iemanjá, que estava representando seu Ilê, com alguns de seus filhos destacou a importância de encontros como este como somente fazem com que sejm sanadas dúvidas e facilita a compreensão de todos, levando ao diálogo religioso. [LER MAIS]
24/10/2015 :: TOQUE DE TERMINAÇÃO - ENTREGA DE AXÉS E OBRIGAÇÃO DE FILHOS

ILÊ ORIXÁ REALIZA SAUDAÇÃO AO ORIXÁ BARÁ

Pela primeira vez desde a fundação do Ilê Orixá em 2011, a realização da saudação ao Bará foi realizada com todos os integrantes da casa vestindo branco, devido a ser uma obrigaçao de Terminação. Já é tradição realização do chamado ao Bará na rua com presença dos filhos do axé e amigos que desejam partilhar [LER MAIS]

DECORAÇÃO DO QUARTO DE SANTO

Foram muios os doces e frutas que ornamentaram o quarto de santo durante a noite do dia 24 de outubro, levando axé de fartura e prosperidade a todos que prestigiaram a comemoração, no entanto neste ano não foram os doces ou flores [LER MAIS]

AMIGOS PRESTIGIARAM 10 ANOS DE ADIOKO

Foram muitos os amigos que prestigiaram as comemorações dos 10 anos de Ogum Adioko de Pai Ronie, o que torna impossível citar o nome de todos, mas cada um que esteve presente sabe que a festa foi formada por amigos que sem dúvida fazem parte desta caminhada. Amigos que estiveram durante a noite do dia 24 de outubro, que romperam distâncias para estar presentes, se sintam todos agradecidos por estarem presentes em um momento tão especial que [LER MAIS]

FÉ, DEVOÇÃO E RESPEITO

Pai Ronie de Ogum Onire Adioko e Pai Alexandre de Oya Niqué Tofã, sem dúvida são exemplos de fé no culto africanista, pois com todas as adversidades ocorridas antes da abertura do Ilê Orixá nunca tiverem sua fé abalada nos orixás e principalmente no orixá que os iniciou, Xangô Godô Aloxe [LER MAIS]

PAI RONIE FAZ ENTREGA DE AXÉS

Pai Ronie de Ogum Adioko entregou na noite do dia 24/10 axés de obé aos primeiros filhos que se aprontaram dentro do Ilê Orixá, ocorrido em 08/10/2015, estendendo o axé de Ogum Adioko, a seus filhos, no Ilê Orixá uma casa de tradição africana de Ogum e Oya, sempre entrega axé de obé, como parte do [LER MAIS]

APRESENTAÇÃO DOS FILHOS

Os filhos que cumpriram preceitos aos Orixás no Ilê Orixá durante o mês de outubro foram apresentados durante o batuque de terminação no dia 24, durante a reza de Ogum Adioko. A apresentação dos filhos faz parte do ritual religioso do batuque do Rio Grande do Sul, que serve para mostrar [LER MAIS]

ESPAÇO EXTERNO DECORADO

O espaço externo do Ilê Orixá sempre é amplamente decorado para receber os amigos que vem para prestigiar as homenagens que ocorrem dentro do espaço do Ilê, sempre com o objetivo dar condições cada vez melhores a todos que frequentam a casa, isso é um trabalho constante de busca em sempre procurar [LER MAIS]

AXÉ DA BALANÇA

O axé da balança é onde na Nação dos Orixás cultuada no Rio Grande do Sul, o Orixá Xangô julga e observa nossa obrigação. De acordo com a forma como ocorreu a obrigação ocorrerá a manifestação dos orixás, que chegam mais "leves" ou mais "agitados", é um ritual onde participam somente pessoas iniciadas que possuam obrigação de quatro pé, e sempre [LER MAIS]

UMA FORTALEZA CHAMADA ILÊ ORIXÁ

Quando o Ilê Orixá foi fundado no dia 30/09/2011, muitas foram as pessoas que duvidaram do axé, que criticaram e que disseram que a casa rapidamente fecharia,  claro que muitas também foram as pessoas que acreditaram na força do axé, no encontro das duas espadas.

Mas o tempo mostrou que não existe nada que não seja solucionado com a fé nos orixás, que não problema que não seja passageiro quando o orixá é nosso foco, nosso objetivo principal. Nestes 4 anos sem nunca perder o foco e sempre colocando os orixás em primeiro lugar, o Ilê Orixá construiu uma fortaleza de fé, de respeito, de força. [LER MAIS]

AXÉ DO MERCADO

Dentro de nossa tradição religiosa sempre que existe obrigação onde são assentados orixás ou onde são cortadas aves ou 4 pé nos orixás já assentados é distribuído mercado ao final aos visistantes. O mercado é um axé que serve para distribuir uma parte da obrigação religiosa aos que visitaram a festa.Antes de iniciar a obrigação os pacotes, caixas ou ainda sacolas com os mercados são montados e colocados em local de fácil acesso para a distribuição aos visitantes.  [LER MAIS]

 

 

LANÇAMENTO: ILÊ ORIXÁ: UMA BREVE EXPLICAÇÃO SOBRE O CULTO AOS ORIXÁS

O livro retrata o batuque do Rio Grande do Sul, de acordo com os preceitos da nação Oyo e Jeje. Dá condições de uma compreensão e discussão sobre o tema, ênfase na relação do sagrado com o ser humano, possibilita uma ótima reflexão sobre o assunto, leitura importante para os adeptos de religião africana. [CONHECER O LIVRO]

O RITUAL DA MESA - 17/10

A mesa de Ibeji é um ritual onde são servidos além de canja, doces, podendo ainda serem servidos frutas e brinquedos. É uma obrigação extremamente importante, um axé de saúde, de properiadade. Não se faz assentamente de orixás sem que seja servida uma mesa de Ibeji. No sincretismo religioso são sincretizados como Cosme e Damião. [LER MAIS]

17/10/2015 - SEGUNDA FESTA ::: MESA DE IBEJI

ALGUNS AMIGOS E FILHOS DO AXÉ

O Ilê Orixá é formado por amigos que não somente buscam a religião para minimizar seus problemas, mas também para ajudar o ser humano a se desenvolver, a melhorar e a crescer. São filhos, que partir do contato com o orixá se comunicam com o sagrado, auxiliando a todos na construção de uma sociedade melhor. A família Ilê Orixá é formada por dezenas de pessoas que fazem isso, co amor, carinho e principalmente respeito a todos. [ LER MAIS]

ABERTURA DO BARÁ

Na noite do dia 17 de novembro, antes de iniciar a mesa de Ibeji foi realizada a saudação ao orixá Bará como de costume, pedindo força, proteção e fartura a todos os filhos e amigos do axé, que partilharam deste momento. Ao se fazer esta reverência estamos dando ao Orixá Bará que ele possui de direito, recebido por Olodumare, de ser saudado sempre em primeiro lugar, não se faz nada sem sua aprovação [LER MAIS]

10/10/2015 - PRIMEIRA FESTA ::: TOQUE EM HOMENAGEM AO ORIXÁ OGUM ::: - 10 ANOS DE OGUM ADIOKO -

FAMÍLIA ILÊ ORIXÁ

A famíllia Ilê Orixá está alicerçada no convivio com as diferenças e no respeito mútuo entre todos, o que faz com que se desenvolvam seres humanos capazes de respeitar a todos, isso é religião. Não adianta ser de religião se não for criado efetivamente o conceito de família, pois na tradição africana pertencer a uma família é ter os mesmos problemas e também as mesmas vitórias. [ LER MAIS]

ABERTURA AO ORIXÁ BARÁ

Já é tradição no Ilê Orixá na decoração do quarto de santo do Ilê Orixá a utilização de muitas folhas o que para alguns já causou estranheza, inclusive perguntando se a casa não era de Ossanha, a folha é de extrema importância dentro [LER MAIS]

AXÉ DA BALANÇA

Sempre que se faz uma obrigação de 4 pé é realizado o ritual da balança, que sempre pertence ao Orixá Xangô, responsável por analisar como ocorreu o decorrer da obrigação, este axé pertence a ele. Na tradição do batuque do Rio Grande do Sul é grande o número de casas que fazem mais de uma balança em uma mesma noite, a dividindo [LER MAIS]

CHAMADA AOS ORIXÁS PARA O TOQUE

A chamada aos orixás é um momento de grande emoção, pois é quando lembramos de tudo que foi realizado até chegar ali, é quando lembramos de nossa trajetória, de nosso início, e a cada nova obrigação, a cada novo batuque essas emoções são repetidas, pois embora a história [LER MAIS]

UM ESPAÇO PARA SABOREAR

No dia 10/10/2015 ocorreu a primeira festa da Obrigação a Ogum Adioko e seus filhos, tendo sido dedicado espaço externo para doces e salgados serem servidos. Foi um festa fechada onde não foi divulgada e também sem convites, já que a festa aberta foi realizada na terminação do dia 24/10. [LER MAIS]

MOMENTOS DE DESCONTRAÇÃO

Sempre antes de iniciar um batuque existem momentos de plena descontração que fazem com que a dinâmica do processo religioso fuja um pouco ao processo que está sendo esperado. São estes os momentos que são lembrados, momentos onde todos possuem a liberdade de se expressar, de falar, de opiniar e [LER MAIS]

FILHOS DE OBRIGAÇÃO

Durante o Toque em Homenagem ao Orixá Ogum, foram apresentados os filhos que cumpriram preceitos de assentamento de seus orixás no dia 08 de outubro, mesma data que Pai Ronie cortou para os seus orixás. [LER MAIS]

A DECORAÇÃO DO QUARTO DE SANTO

A decoração do quarto de santo sempre está relacionada com a o obrigação que ocorre, o batuque do dia 10/10 teve como como homenagem Ogum, por isso o destaque dado as cobras (axabá), que representam ferramentas deste orixá. [LER MAIS]

OBRIGAÇÃO DO PASSEIO

Ocorreu no dia 23 de outubro a obrigação do passeio como mais uma etapa do assentamento dos Orixás dos filhos que cumpriram preceitos no último dia 8. O passeio tem por objetivo apresentar os filhos que estão se aprontando a comunidade batuqueira. Para a sua realização os filhos de obrigação saem do Ilê, ainda em jejum vão ao Mercado Público de Porto Alegre, um local de intenso movimento, para além de saudar o orixá Bará (que supostamente foi assentado pelo Príncipe Custódio para movimentar o local) pedir prosperidade e fartura a sua obrigação religiosa. [LER MAIS]

CORTE AO ORIXÁ BARÁ LODÊ E OGUM AVAGÃ DE PAI RONIE

Foi realizado por Pai Ronie de Ogum Adioko na presença dos filhos do axé corte aos seus Orixás Bará Lodê Fumilayo e Ogum Avagã Peremim no último dia 3 de outubro, tendo início a obrigação dos seus Orixás e filhos. A obrigação para os Orixás guardiões do terreiro ocorreu com muita tranquilidade e força, levando axé de prosperidade e proteção a todos que estavam presentes. [LER MAIS]

CORTE AOS ORIXÁS DE PAI RONIE

Pai Ronie de Ogum cortou para seus Orixás no dia 8 de outubro (Bará Lanã, Bará Agelu, Ogum Onira, Oya Niqué, Xangô Aganju, Odé, Otim, Obá, Ossanha, Xapanã Jubitei, Ibeji, Oxum Pandá, Iemanjá Bomi, Oxalá Bocum e Oxalá de Orumilaia), data de grande emoção, axé e união de todos. A obrigação foi fechada aos filhos e netos do axé, em um momento de se fortalecer e de se ligar ainda mais ao sagrado. Desde 2011, quando o axé Ilê Orixá foi fundado Pai Ronie é o responsável por seu ori e de seus Orixás, no entanto continua sempre respeitando o axé de Xangô Aloxé, que o fez, desta forma mesmo não estando mais em sua casa, continua o respeitando. [LER MAIS]

FAMÍLIA ILÊ ORIXÁ: 4 ANOS

Para a maioria das pessoas, família é definida de acordo com laços de sangue, para outros por laços de convivência, mas para a religião africana, o conceito de família é muito mais do que isso, pois está ligado a laços criados na ligação com o sagrado, na ligação com nosso Orixá e a todos os que convivem diretamente.

Nestes 4 anos de fundação do Ilê Orixá, a família cresceu, novas pessoas foram sendo somadas ao axé, família é um local onde pessoas diferentes convivem mutuamente, auxiliando umas as outras, sem nada esperar receber. É saber escutar, é saber ajudar, entender e sobretudo conviver com as mais variadas diferenças. A religião africana é acolhedora, pois todos são bem vindos, Olodumare respeita e aceita a todos sem nenhum tipo de discriminação. [LER MAIS]

 

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - A apropriação indevida é crime

Ilê Orixá -2011 - 2015 Designer Pai Ronie Ogum Onire - Publicado em 13/11/2011 Última atualização 19/06/2016

Rua Vidal Brasil, 559 - Novo Mundo - Gravataí - RS Fone: (51) 34974127 - 98382598 contato@ileorixa.com.br - WhatsApp Pai Ronie 5198382598 Pai Alexandre 51 82933850