Ikómojáde – Orukó dos Filhos do Ilê

 

O dia 26 de maio de 2013 foi de aprendizado, atenção e  descoberta para cada filho do axé que esteve presente na entrega  do Orukó.

Descoberta e aprendizado por que todos descobriram seu orukó, descobriram sua importância para o povo yorubá e  aprenderam de que forma este pode influenciar suas vidas, já que para a tradição africana a palavra é portadora de axé.
Ikómojáde é popularmente conhecido como o dia do nome na religião tradicional africana. Existe mais de uma forma de estes nomes serem dados, logo após o nascimento da criança.

Alguns nomes estão de acordo as circunstâncias de nascimento, da família, ou ao Orixá ao qual a família ou a criança está relacionada.

Podemos destacar dois tipos de Orukó, Órúkó-àmútorunwá (aquele que a criança traz ao nascer) e Órúkó-àbíso (no nome dado após um estudo completo sobre a pessoa, sua ancestralidade, família e Orixá).  Por ocasião de entrega dos Orukós cada um recebeu um certificado, que serve de registro.

A escolha de um Orukó é dada através de consulta a Ifá, o orukó de um filho do axé não deve ser confundido de forma alguma com o nome ou sobrenome do Orixá. Conhecer o Orukó é ter a possibilidade de entender nossas características e abrir uma porta para a compreensão de futuro, já que a aceitação e utilização cotidiana do Orukó se faz presente na vida de quem o utiliza, fortalecendo sua vida, seu axé e colocando cada vez mais próximo de seu Orixá.

No Ilê Orixá, esta consulta foi realizada no dia 08 de março de 2013, por Pai Ronie de Ogum Adioko e Pai Alexandre de Oya Tofâ que escolheram de acordo com as características de cada um dos filhos e pensando também em de que forma este poderá ajudar no crescimento espiritual de cada um dos presentes.

Neste eventos somente alguns filhos receberam o seu Orukó, já que no Ilê Orixá todo axé e todos os passos dados dentro da religião são por merecimento, dedicação e conduta ritual.

Abaixo a relação dos Orukós que foram entregues:

NOME

Orukó

Cátia Silveira dos Reis

Oyabanke (Iança vai cuidar de mim) 

Cláudia Cardias Levandovski

Yemojakemi (Yemanjá me cuida) 

Elizângela Fraga Santos

Oyakole (Iança construi a casa para mim) 

Felipe dos Santos da Silva

Ogunsoji (Ogum surgiu na família) 

Gisele Denise Teixeira

Oyalayo (Iança tem alegria)

Marcelo de Souza Moraes

Oguntoba (Ogum me encaminha) 

Rosângela Barbosa dos Santos

Baluaiyebambo (Obaluaie veio comigo) 

Sheila Beatriz Teixeira

Esu Funmilayontoba (Exú me deu alegria) 

Silvia Denise Gonçalves Teixeira

Esùronke (Exú me tem para cuidar) 

 

A cerimônia foi realizada ao ar livre, primeiramente foi esclarecido o que é o Orukó, sua finalidade e abriu espaço para discussão e debates, após foi realizada uma confraternização entre todos os presentes. Estiveram presentes na cerimônia os filhos do axé: Sheila de Barã, Silvia de Bará Agelú, Marcelo de Ogum Onirê, Felipe de Ogum Onirê, Valério de Ogum, Gisele de Iança, Elizângela de Oya, Érica de Oya, Ramom de Xangô, Rosângela de Xapanã Belujá, Terezinha de Oxum, Claudia de Yemanjá, Henrique e os amigos do axé Vitor Fraga, Felipe Fraga, Richard, Michele Marins, Edgar, Ana de Orumilaia, entre outros.