Sexta é dia de axé

 

Desde que o Ilê Orixá foi aberto a sexta-feira é dedicada ao axé, data em que são trocados os axés dos barás, os ecós e as respectivas quartinhas, e os filhos, amigos e clientes colocam seus pedidos e agradecimentos no quarto de santo.

Inicialmente dedicava-se este dia para passar axés de saúde e trabalho em todos os que batiam na porta, depois novas necessidades foram sendo somadas e se foi concentrando neste dia. Depois de algum tempo não se tornou mais possível a manutenção dessa forma, pois a casa foi crescendo e muitas são as novas situações semanais, com isso se iniciou o nosso Xirê de Sexta, como é conhecido carinhosamente por todos os frequentadores. É o momento de receber axés dos Orixás, de fazer pedidos, de agradecer, de estabelecer novas relações com o sagrado e desenvolver a fé.

É no Xirê de Sexta que os filhos do axé possuem a possibilidade de aprender a religião, com contato direto todas as semanas, é onde são distribuídos doces e frutas dos axés que foram servidos, pois a base de nossa religião é compartilhar, é dividir, levando o axé dos Orixás a todos que entram.

Não existe uma única forma de fazer religião, e poder ter este contato semanal com o Orixá é renovar todas as semanas nossa força, é alimentar nossa fé, é aumentar nossa força, é nos tornar mais próximo de nosso rixá.

O Ilê Orixá é uma casa de axé exclusivamente dedicada ao culto de nação Oyo e Jeje, já que Pai Alexandre de Oya Tofã e Pai Ronie de Ogum Adioko foram iniciados somente na Nação dos Orixás, com isso nosso Xirê de Sexta ´sempre exclusivo de Orixá, quem não entende como isso funciona, basta viver este axé para poder tentar entender, pois religião se aprende fazendo, vivendo.

 

Veja também: Origem Pai Ronie de Ogum / Origem Pai Alexandre de Oya / Objetivos da Casa / Filosofia da Casa

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - Ilê Orixá -2011 - Designer Ronie Ogum Onire

Publicado em 08/11/15 - Revisão em 01/08/2016 - Lei de Direito Autoral nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. 

 

Tweetar