O início de tudo com Bará

"Sonsô obé ko lori eru" 

( A lâmina é afiada, ele não tem cabeça para carregar fardo) 

Antes do início da comemoração do 11 anos de Ogum Adioko e obrigação de filhos do axé, os filhos e alguns amigos foram até o cruzeiro próximo ao Ilê realizar a saudação ao orixá Bará, como forma de agradecimento e também de pedidos de proteção e aberturas.

Na África Bará é conhecido apenas como Exu, e é considerado um orixá universal, pois toda África faz cultos a ele, independente da região o que faz com que seja respeitado e idolatrado em toda parte. Ele é tão importante que não é possível realizar culto para nenhum outro orixá sem antes realizar culto a ele. Exu representa o infinito, o inacabado. Representa tudo que existe. A vida e a morte, o masculino e o feminino, o bem e mal, embora Exu não seja nem bom nem mal, pois está acima disso.

Exu consegue estar em todos os lugares, e anda em todas as direções, mora onde os caminhos se encontram, onde eles se cruzam. Bará Exú mora na encruzilhada, mas consegue estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Está na praia, no ar, no mato ou na terra, e tudo que os orixás recebem passa por ele primeiro. Este é Bará, ao qual sempre saudamos antes de iniciar uma obrigação, antes de fazer um axé e também antes de um toque e homenagem aos orixás.

Que o axé de Bará esteja sempre ao lado de todos os filhos e amigos, principalmente os que partilharam deste momento único de fé, força, união e alegria, levando axé de prosperidade e saúde na vida de cada um.

O início de tudo com Bará / Apenas uma conversa com o sagrado / Carinho e fartura decoraram o quarto de santo /

Apresentação dos filhos de obrigação dos filhos do axé / Balança para confirmar a obrigação / Decoração externa do terreiro Ilê Orixá

Tweetar

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - Ilê Orixá -2011 - Designer e Texto Ronie de Ogum Onire

Publicado em 12/11/16 - Lei de Direito Autoral nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.