Apenas uma conversa com o sagrado

A chamada aos orixás antes de iniciar uma obrigação pode perfeitamente ser entendida como um pedido de posso continuar, de permissão para seguir em frente e também de apenas vou iniciar. De qualquer forma sempre conversamos com nossos orixás, cada um de uma maneira para iniciar qualquer obrigação, isso é respeitar o sagrado e as divindades que cultuamos.

Essa converssa pode ser rápida ou longa, em silêncio ou não, pois o que é importante não são as palavras, mas sim o que vem do coração de cada um ao se ajoelhar e conversar com os orixás, o que importa são nossas atitudes com o sagrado, pois somos de religião todos os dias de nossa vida. O que vale não é o que falamos para os outros ouvirem mas o que desejamos em silêncio, o que pensamos, mesmo que se fale diferente, mesmo que outras pessoas pensem diferente.

Cada orixá sabe tudo que passa no coração de cada um, por isso é tão importante termos uma vida ligada ao sagrado de forma integral e sempre correta, para saber que ao se ajoelhar na frente do sagrado estamos pensando exatamente o mesmo que falamos, isso é ser verdadeiro, isso é ser íntegro com as pessoas e com os orixás.

Na noite de 22 de outubro Pai Alexandre de Oya e Pai Ronie de Ogum se ajoelharam para pedir as bençãos dos orixás para mais uma obrigação, para mais um compromisso religioso, com fé, força e também com alegria, pois poder se comunicar com o sagrado é sempre motivo de intensa alegria e comemoração.

 

 

O início de tudo com Bará / Apenas uma conversa com o sagrado / Carinho e fartura decoraram o quarto de santo /

Apresentação dos filhos de obrigação dos filhos do axé / Balança para confirmar a obrigação / Decoração externa do terreiro Ilê Orixá

Tweetar

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - Ilê Orixá -2011 - Designer e Texto Ronie de Ogum Onire

Publicado em 12/11/16 - Lei de Direito Autoral nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.