Prof. Pai Ronie de Ogum Onire Adiokô
Babalorixá no Ilê Orixá Ogum Adioko e Oya Tofã, Licenciado em Matemática pela Uniasselvi (2013), Graduando em Química pela Ulbra, Pós-Graduando em Especialização Matemática para Professores pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG

 

A BALANÇA DE XANGÔ

Para receber o ano de 2013, que será regido por Xangô e Oya, foi construída por Pai Alexandre de Oya, uma balança artesanal em madeira, como símbolo da justiça e do equilíbrio. A balança foi construída com troncos de eucalipto e seus pratos ficam suspensos por correntes de aço.

Sobre os pratos da balança são colocados pedidos de justiça e pedidos de agradecimento ao Orixá da justiça, e sobre estes coloca-se axés para Xangô. Na foto abaixo, detalhe com uma gamela de doce folhados a esquerda e uma gamela com banana esmagada com mel e azeite de dendê, que também é utilizado como ecó para Xangô. E a frente, ao centro um amalá para Xangô.

Xangô é o Orixá padrinho do Ilê Orixá, juntamente com o Orixá Oxum, por isso a partir deste ano, a balança será colocada no quarto de santo do Ilê Orixá, em busca de justiça a todos os filhos do axé que buscarem.

Cada prato representa uma lado da justiça, ficam constantemente em equilíbrio, para mostrar a imparcialidade da justiça. Xangô julga com imparcialidade. Quem pede justiça a Xangô deve estar pronto para responder por todos os seus atos. Xangô é justo, para que um julgamento seja imparcial é necessário ouvir, observar e analisar todos os lados. Ninguém é dono da verdade absoluta e ninguém está livre de ser julgado por Xangô, por isso devemos estar preparados para isso e fazermos sempre o certo para não temer a Xangô.

Xangô é a lei e a justiça, alguns Babalorixás e Yalorixás colocam que Xangô Aganju é a Lei e Xangô Godô, a justiça. De qualquer forma, é para Xangô que devemos nos reverenciar quando injustiçados, pois somente ele conhece todos os lados e está em condições de julgar com imparcialidade sempre que solicitado. É o Orixá mais indicado para tomar deciões sensatas e difíceis, pois é neutro.

É importante destacar que nos ritos de batuque praticados no Rio Grande do Sul, quando existe obrigação de 4 pé, existe um ritual chamado de balança, onde somente os prontos podem participar, é um momento de muita emoção e respeito em que pedimos para Xangô julgar nossa obrigação, e também pedimos misericórdia a ele.

A balança ocorre com todos os prontos de mão dada, em movimentos que andam para frente e de costas, andando sempre de frente e de cabeça baixa. Quando se anda para frente, mostrando a cabeça baixa para Xangô estamos pedindo sua misericórdia, e nos colocando aos seus pés. É um axé que deve ser realizado sempre com múltiplos de 6 ou 8 pessoas, ou seja no axé de Xangô ou de Oxalá.

Não deve ser aberta antes do momento certo, onde todos os participantes abrem suas mãos em conjunto, momento pelo qual os Orixás dançam o alujá, que é um axé de Xangô e Iança. Segundo os mais antigos, a balança mostra o equilíbrio de uma obrigação, que pode ser observada pela forma como os Orixás chegam e como se manifestam.

 
Tweetar

 

 

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - A apropriação indevida é crime. Para citar qualquel coisa deste site é preciso citar a fonte a autoria. Ilê Orixá -2011 - 2015 Designer Pai Ronie Ogum Onire -

Lei de Direito Autoral nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. 

* Texto escrito por Pai Ronie de Ogum , não autorizada a publicação em outros meios. Publicado em 21/01/2013 Atualizado em 10/06/2013

ATENDIMENTO COM HORA MARCADA

Rua Vidal Brasil, 559 - Novo Mundo - Gravataí - RS Fone: (51) 34974127 - 98382598 contato@ileorixa.com.br -

WhatsApp Pai Ronie 51 98382598 Pai Alexandre 51 82933850