Prof. Pai Ronie de Ogum Onire Adiokô
Babalorixá no Ilê Orixá Ogum Adioko e Oya Tofã, Licenciado em Matemática pela Uniasselvi (2013), Graduando em Química pela Ulbra, Pós-Graduando em Especialização Matemática para Professores pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG

 

O NASCIMENTO DE UM ORIXÁ

 

Todos nós quando nascemos somos escolhidos como filhos de um Orixá, que nos escolhe para ser seu filho, independente de ser ou não de religião afro.

O nosso desenvolvimento e características são devido ao Orixá ao qual somos filhos. Um grupo de pessoas será escolhida para seguir os fundamentos da religião dos Orixás, ajudar a perpetuar o axé e ensinar o culto aos demais. Ser de religião afro é poder ser um intermediário entre o homem e o sagrado.

Dentre os praticantes, um pequeno número de pessoas irá ser a manifestação do Orixá na Terra (aye) sendo um elo entre o homem e o sagrado. Para esta manifestação ocorrer, o Orixá precisa nascer na Terra. O nascimento de um Orixá é um dos momentos mais lindos nos cultos afro, de muita emoção e alegria, que quando ocorre, sempre é na hora certa.

O nascer de um Orixá nos faz sentir a manifestação do sagrado entre nós, a compreender nossas falhas e entender nosso presente. Os Orixás nos confortam e anos ajudam.

Quem se ocupa (forma como chamamos as pessoas onde o Orixá esta manifestado) com um Orixá não deve saber, é um dogma da religião, que segundo pessoas mais antigas, dentre outras coisas não enaltece a vaidade pessoal de quem recebe o Orixá.

Todos são iguais na religião dos Orixás se ocupando ou não. A força de todos é a mesma, o que difere uma pessoa da outra, é o que chamamos de fé e o comportamento ritual. Quanto maior for a fé, maior será seu axé, maior será sua força. Confiar nos Orixás, na religião e fazer sempre o correto, nos dá uma grande vantagem frente as adversidades da vida.

Da mesma forma que uma criança ao nascer, Orixá precisa aprender, e ele aprende rápido. O Orixá conhece as coisas do Orum e o homem conhece as coisas do aye. É necessário que aprenda a se comunicar, a andar com firmeza e a dançar. Ele aprende com o homem e os Orixás que nasceram antes dele.

Por ter nascido a pouco, por não saber dançar uma bela dança, não significa que seu axé seja inferiro. Não podemos nos deixar enganar por aparências, Orixá é simplicidade, e por vezes pode se mostrar bem simples, para nos ensinar que sabedoria é ser humilde com todos, com o ser humano e para com os Orixás,

Quanto mais um Orixá se manifesta, mais ele se fortalece, e mais fácil de perceber a sua energia. Ao se fortelecer o Orixá também fortelece seu filho, o desenvolvendo como ser humano, melhorando seus defeitos, e maximizando suas qualidades.

Um Orixá nasce na Terra quando seus filho possui uma missão para desenvolver, e quando ele está apto a desenvolver esta missão. Todo o Orixá é uma força da natureza, uma energia que se manifesta para ajudar, para auxiliar o ser humano a melhorar a cada dia.

 

 

Tweetar

 

 

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - A apropriação indevida é crime. Para citar qualquel coisa deste site é preciso citar a fonte a autoria. Ilê Orixá -2011 - 2015 Designer Pai Ronie Ogum Onire -

Lei de Direito Autoral nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.

 * Texto escrito por Pai Ronie de Ogum , não autorizada a publicação em outros meios. Publicado em 28/11/2012 Atualizado em 10/06/2013

ATENDIMENTO COM HORA MARCADA

Rua Vidal Brasil, 559 - Novo Mundo - Gravataí - RS Fone: (51) 34974127 - 98382598 contato@ileorixa.com.br -

WhatsApp Pai Ronie 51 98382598 Pai Alexandre 51 82933850