Reverência ao Orixá Bará

 

Dezenas de pessoas acompanharam no último dia 26 de abril a Saudação ao Orixá Bará na rua Vidal Brasil, em uma grande demonstração de fé, respeito e religiosidade. Bará é o nosso início, e o Ilê Orixá se mobiliza sempre antes de um Xirê para saudar Bará na rua, já que este é o seu principal local ritual.

Este ano o diferencial foi o tambor que acompanhou a todos, contagiando e chamando a todos para a obrigação, ao Batuque em Homenagem ao Orixá Xangô.

Saudar o Orixá Bará, é pedir sua proteção e sua ajuda, além de agradecer. É um Orixá de extrema importância dentro do culto afro e de forma nenhuma deve ser confundido com o Exú da Quimbanda. O Orixá Esù (Bará) possui a mesma importância dos demais, não é de forma nenhuma oposição ao sagrado, não está contra Deus (Olodumare).

Não podemos pensar como alguns que dizem que o Orixá Bará é a evolução do Exu da Quimbanda, isto não é correto. Todos os Orixás são energias que representam forças da natureza, criadas por Olodumare para o representar e ajudar os seres humanos a se desenvolverem. Não são espíritos de forma nenhuma, nunca foram humanos. Não tiveram uma vida terrena.

[Alguns amigos do axé] [Saudação ao Orixá Bará] [Decoração externa] [Parte da família religiosa] [Uma obrigação apenas para agradecer] [Momentos antes de inciar] [Filhos de obrigação] [Quarto de santo] [Roda do batuque]

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sem autorização por escrito - A apropriação indevida é crime.

* Texto escrito por Pai Ronie de Ogum , não autorizada a publicação em outros meios.

Publicado em 14/05/2014 Revisão em 20/05/2014

 Lei de Direito Autoral nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. 

Ilê Orixá -2011 - 2014 Designer Pai Ronie Ogum Onire

1.