Axé do mercado

Foto: Cláudia Ribas

Toda obrigação que se faz assentamento de orixás, aqui na família Ilê Orixá, deve-se realizar o axé do mercado que é constituído por um axé de cada orixá, representa fartura para a obrigação, e quanto mais longe ele vai melhor. Quem está de obrigação tem o axé de sua obrigação expandido e quem leva se nutre de axé.

No dia 7 de abril, foi mais uma noite de servir mercado na obrigação, pois foi mais uma noite de comemoração e assentamento de orixás.

Este é um rito que quase não se vê mais, na maioria das casas de axé, além do mercado todos ao saírem da festa levam também bolo, doces e frutas que são distribuídos durante toda a noite, todo o axé que se distribui, volta. Orixá deve sempre ser feito com fartura, pois representa fartura, mas de forma nenhuma significa que não exista força e axé nas casas mais humildes, pois fartura não significa luxo ou ostentação, mas ter o que servir a todos, não significa ter variedade ou também comidas caras, mas condições de todos que estão serem servidos de forma igualitária.

Pai Ronie de Ogum Adioko
Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 488 artigos
Pai Ronie é Licenciado em Matemática pela Uniasselvi, especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e cultura afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar