A decoração do Peji

O Peji (quarto de santo) foi decorado para a homenagem ao Orixá Ogum, com muitos doces, frutas e flores que foram distribuídos durante a noite. Quando se decora uma casa, não se pensa somente quem iremos receber, pois as visitas estarão presentes em um dia, em algumas horas, de fato a decoração é realizada para quem mora nela, para agradar, para demonstrar carinho, zelo e respeito.

Cada Ilê Orixá decora um casa de uma forma, de acordo como gosta como se sente bem, da forma que acredita estar melhor deixando o seu Orixá pessoal e os demais satisfeitos com a festa, todas as decorações de todos são belas, e a beleza para o Orixá não é o luxo, a riqueza ou a ostentação, pode ser perfume de uma flor do campo e apenas o carinho dispensado na simplicidade de quem pensa na decoração quando faz.

A decoração de um quarto de santo é acima de tudo para nossos Orixás que claro, não moram fisicamente nas prateleiras, no quarto de santo ou no salão, mas possuem suas representações ali estabelecidas, é onde possuímos o seu lugar para culto.

Em um axé de fartura e doçura a todos que prestigiaram a festa, o que no Ilê Orixá já é tradição, pois todas as semanas são distribuídos muitos doces e frutas a todos que visitam regularmente a casa em dias de festa, ou apenas para receber um axé durante a noite.

Na religião de tradição africana recebemos o que damos, saúde quando ajudamos alguém que está doente, prosperidade e fartura, quando é distribuído fartura, desta forma quanto mais se faz, em uma casa de axé, mais se recebe, mesmo que se faça sem nada por esperar.

Que todo o axé que esteve presente no toque em homenagem ao Orixá Ogum Adioko seja estendido a todos aqueles que buscam na religião dos Orixás uma forma de ajudar e criar um mundo melhor a todos.

Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 1048 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta