O ritual da mesa de Ibeji

A júbà Ìbejì orò, Sàngó dibeji, Òsun dibeji, Oujá níbeji, gbogbo owó fun wa òòsà ibeji, ìbejì orò!

 (Respeitamos aos espíritos gêmeos, Xangô convertido em gêmeo, Oxum convertida em gêmea, Oiá tendo gêmeos, espíritos gêmeos!)

Ainda no início da tarde do dia 17 de dezembro de 2015, Pai Alexandre extendeu a toalha branca sobre o salão para iniciar a montagem da mesa de Ibeji, que iria ocorrer no início da noite. Esta mesa foi realizada devido ao assentamento dos orixás Bará Lodê, Ogum Avagã, Xangô de Ibeji e Oxum Ibeji de Pai Alexandre. De acordo com a nossa tradição religiosa, quando se faz assentamento de orixás são realizados três festas, a festa das cabeças, a mesa e a festa de terminação.

A mesa tem por finalidade traz properidade e fartura para a obrigação, além de ser também um axé de saúde a todos os que estão presentes. A mesa inicia com canja para todas as crianças, logo após são servidos os doces e demais guloseimas disponíveis.

Pai Alexandre agradece ao alabê José de Bará Lodê, que tocou durante a obrigação, e a Mãe Fernanda de Xangô Aganju Fumilayo que realizou o assentamento dos orixás Ibeji para ele, desejando muito axé de união, sucesso, alegrias e saúde a todos.

Pai Ronie de Ogum Adioko
Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 671 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar