10 anos da Fortaleza Ilê Orixá

No ano de 2011, no dia 30 de setembro, mês de assentamento dos orixás Oya Tofã e Ogum Adioko, a Fortaleza Ilê Orixá foi fundada, em uma casa de madeira, muito simples, com uma estrutura mínima, mas com um sonho, o de levar a religião dos orixás aos que batessem na porta, sem excluir ninguém e sem olhar as diferenças.

Muitos foram os momentos difíceis, mas sempre movidos pela dedicação e a fé sustentada em cada um dos orixás, mas especialmente em Ogum, Oya e Xangô, a casa cresceu se sustentou, e hoje passados 10 anos de sua fundação, muitas histórias para lembrar, muitas histórias para contar, muitas lembranças na memória e uma sólida família religiosa construída.

Em 10 anos a Fortaleza Ilê Orixá poderia ser contada em números que podem impressionar os mais céticos, foram dezenas de festas, centenas de atendimentos mensais, dezenas de atividades diversas que realizadas anualmente fazem com que o axé se sustente e se mantenha plenamente estabelecido, no mesmo endereço em que foi inicialmente fundado.

Pois em 10 anos não foi somente a estrutura física que cresceu, mas tudo que faz parte do axé, levando o axé dos orixás para todos os lados e lugares.

A Fortaleza Ilê Orixá sempre teve sua sede própria, mas nunca se pensou como a sede estaria em 10 anos de fundação, nunca se pensou o tamanho físico ou religioso do axé, pois tudo no início parecia muito distante e algumas vezes inimaginável, mas aqui a magia se faz sempre presente, e o impossível não existe.

E o axé cresceu, não somente para um ou dois mas para todos os que acreditam na verdade, que fazem a verdade todos os dias e que assim permitem que o axé esteja sempre vivo, pois como dizemos dentro da Fortaleza aqui acontece, e ninguém está ou vem simplesmente pela simpatia, mas pela força do axé, pela magia da mudança que acontece em todos os que possibilitam que ela aconteça.

Nesses 10 anos de axé a Fortaleza se fez presente em diversas regiões, fez filhos, centenas de clientes, centenas de amigos e filhos, sempre com responsabilidade em suas ações. Somos da Fortaleza, somos de batuque, somos de Oyo e Jeje, somos de bandeira de Xangô, somos como quiserem chamar, somos um axé em constante transformação, que transforma vidas e faz história

Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 1055 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar