Confraternização com os filhos do axé

Após a realização da reunião com os filhos sobre a obrigação do mês de outubro, foi realizado um Coffee Break antes de iniciar a oficina sobre ervas e plantas dos orixás, um momento especial para uma confraternização com todos os irmãos de axé que estavam presentes. Família é o local onde se deve fortificar laços de união, de fé e de respeito.

Quando se pertence ao mesmo terreiro estamos ligados por laços não de sangue, mas laços que rompem o espaço que enxergamos e nos ligam ao sagrado, laços estes que nos fazem estar dentro de uma mesma família de santo, ou família religiosa, com isso todos estão sujeitos a várias situações problemas que ocorrem em qualquer família, mas que devem sempre serem superadas, pois o que nos une, que é o sagrado, deve ser bem maior.

Ser de um axé é sempre estar em contato direto com o sagrado, que não fica preso nos pejis, não se encerra com uma obrigação, a natureza e nós todos somos a morada de orixás e de nosso ori, desta forma as confraternizações servem não somente como forma de descanso, de lazer, mas também como busca do sagrado que existe dentro de cada um.

Que o axé de todos que estavam presentes nesta confraternização seja para cada vez mais unir a todos com força, fé e respeito ao orixá e a todos.

Pai Ronie de Ogum Adioko
Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 574 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar