Família Ilê Orixá

A família Ilê Orixá está alicerçada no convívio com as diferenças e no respeito mútuo entre todos, o que faz com que se desenvolvam seres humanos capazes de respeitar a todos, isso é religião. Não adianta ser de religião se não for criado efetivamente o conceito de família, pois na tradição africana pertencer a uma família é ter os mesmos problemas e também as mesmas vitórias. A vitória é de todos, assim como as responsabilidades e problemas também são. Pertencer a mesma família não é apenas como os que efetivamente apresentam laços de sangue, mas sim também os que por outras formas apresentam laços em comum.

Pertencer a uma família, da mesma maneira que em uma família de sangue não significa estar sem a possibilidade de problemas de convivência, algum tipo de desconforto ou ainda divergências de pensamento, mas todos partilham de mesmos ideais, de mesmos objetivos e responsabilidades, que são reafirmadas no convívio diário com todos. Dizer que é de um axé, que pertence a uma família religiosa implica em se importar com o irmão, em ajudar a todos e fazer com que todos se desenvolvam plenamente, pois o crescimento de um irmão é o crescimento de todos os demais.

Na noite do dia 10/10, a família Ilê Orixá recebeu alguns poucos amigos, já que a festa foi fechada, para o Toque em Homenagem ao Orixá Ogum Adioko, como primeira festa da obrigação. Pai Ronie de Ogum e Pai Alexandre de Oya agradecem a todos que fazem parte desta família, e desejam que seja para fortalecer a todos com muito axé.

Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 1048 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta