Momentos de emoção na roda

Fotos: Tiago Cechinel / Ijexá Produtora Afro

Toda vez que dançamos na roda dos orixás o sentimento é diferente seja pelo momento que é sempre único, seja pela que estavamos vivendo e assim temos sempre motivos diferentes para nos fazer a emoção nos tomar conta. Dançar é sempre viver um momento de diversas emoções, que cada um expressa de uma forma diferente.

E a roda formada para a dança no dia 25 de setembro comemorou mais que os 10 anos de Odumbadeí e os 6 anos de Odumbadei, foi o momento de dançar para a nossa raiz, dançar na memória também de Xangô Aloxé, pois sem ele nada disso seria possível, nada existiria aqui.

Dançar de pés descalços neste batuque foi comemorar o que Fortaleza Ilê orixá se tornou, comemorar o que ela representa, foi exaltar Xangô, mas também foi exaltar todos que fazem parte deste axé, todos que acreditam na força da religião como forma de ajudar, de fazer o bem e de levar a religiosidade africana ao lado de todos que a buscam.

Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 1088 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar