Uma parte da roda

Dançar ao sagrado e se deixar levar é uma sensação apenas sentida por aquelas que estão plenamente entregues ao sagrado, e estar entregue ao sagrado e poder sentir no coração o axé de cada orixá é uma sensação não apenas de conforto, mas também de dever cumprido, de realização e também de fé.

A roda é um momento mágico, pois trabalha para organizar o xirê, se cozinha, se limpa e após tudo pronto a contemplação ocorre durante a roda, pois é onde os orixás se manifestam e colocam o seu axé de fartura, de crescimento, de saúde e de harmonia na vida de cada um.

E essa harmonia é o que a família Ilê Orixá deseja a todos que pela Fortaleza Ilê Orixá passaram na noite do dia 13 de dezembro, data de comemoração do orixá regente do ano de 2020 para o axé, e em especial aos filhos do axé Francieli de Oya e Andrey de Orumilaia, que realizaram o toque aos orixás para o xirê.

Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 784 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar