Noite de conversar sobre axés diferenciados no tambor

No último dia 16 de agosto deste ano, os filhos e netos do axé, reuniram-se juntamente com Pai Ronie de Ogum e Pai Alexandre de Oya para oficina sobre axés diferenciados de tambor. 

A atividade iniciou com Pai Ronie destacando a necessidade e importância de todos aprenderem e conhecerem os axés que são utilizados na casa, destacando por exemplo o axé para obé, que no Ilê Orixá a partir deste ano utilizado o axé criado para a casa, por Pai Alexandre, conforme consulta e determinação dos orixás.

Foi destacado ainda que o axé de obé pertence ao orixá Ogum, e que o axé de Ifá ao orixá Orumilaia, e que Ifá é entregue no axé de Orumilaia do pai ou mãe de santo, tendo sido lembrando ainda a necessidade de todos saberem do momento correto para entrega de  presentes, que é no mesmo axé utilizado para a apresentação de bolos.

Discutiu-se ainda sobre o momento correto de entrega de flores e axé de fala que é utilizado no Ilê Orixá. Todos esses axés possuem o seu momento certo, e estes devem ser respeitados, pois isso organiza o axé, preserva sua história e identidade.

Quanto ao axé de fala, foi lembrado por Pai Alexandre  os requisitos necessários para participação no axé de fala, e que com o tempo muitos outros orixás da casa também terão fala, tirando assim a necessidade de convidar visitas para testemunhar a fala.

Foi solicitado pelo grupo esclarecimentos sobre o axé de tambor, que foi destacado por Pari Ronie, para por conceder este axé basta que o Pai ou a Mãe de santo possuam o orixá Xangô assentado como requisito básico, embora a pessoa costuma sempre já nascer com o axé, pois não podemos dar um axé de tambor para quem não possui o seu axé nato.

Pai Ronie lembrou ainda que ele e Pai Alexandre não concederam ainda axé de tambor para ninguém do axé, embora existam alguns filhos com permissão de tocar, mas dentro de nosso axé, até chegar o momento certo para receberem o axé e assim podem tocar fora do axé.

Por ocasião da oficina foi conversado ainda sobre axé de 4 pé, axé de bori de aves, axé para bori de 4 pé, axé para ori e também o axé utilizado para o alá de Oxalá, para colocação e retirada.

Estiveram presentes na oficina Zulamir de Oxum, Igor de Odé, Jorge de Ibeji, Jader, Janaína de Oya, Bruna de Iemanjá, Camila de Oxum, Vlnei de Ogum, Gabriela de Oxalá, Gregory de Ogum, Adriana de Oya, Ivone de Iemanjá, Antonio de Ogum, Terezinha de Oxum, Francieli de Oya, Simone de Iemanjá, Carolina de Iemanjá, Vanessa de Iansã, Silvia de Agelú, Mariza de Oxum, Jorge de Ogum Érica de Oya, Anderson de Xangô, cátia de Iansã, Vanize de Odé, Cleber de Ossanha, Silvana de Xangô e Alisson de Oxalá.

Referente: Ata 23/2019, de 16 agosto de 2019

Pai Ronie de Ogum Adioko
Sobre Pai Ronie de Ogum Adioko 661 artigos
Licenciado em Matemática (Uniasselvi), Graduando em Química (UNIP), especialista em Mídias para educação (UFRGS), especialista em história e Cultura Afro (Uniasselvi). É babalorixá no Ilê Orixá, escritor, professor e estudioso da religião de matriz africana.

Seja o primeiro a comentar